A União Européia (UE) descartou nesta quinta-feira (31-01) a possibilidade de sofrer problemas de abastecimento de carne bovina, com a entrada em vigor da suspensão das importações por parte do bloco de carne procedente do Brasil, em conseqüência da falta de um acordo sobre novos controles sanitários reforçados. “Há outros fornecedores de carne bovina. Temos os nossos e há outros países com carne bovina”, disse o porta-voz europeu para questões de Agricultura, Michael Mann, ao ser questionado sobre a possibilidade da UE sofrer uma escassez do produto nos próximos dias.

“Não acredito que exista uma grande diferença”, acrescentou Mann, em referência à situação do mercado europeu após a interrupção da ingreso de carne de Brasil, o maior exportador mundial de carne bovina. O governo brasileiro considerou “desnecessária, desproporcional e injustificável” a decisão da UE, segundo uma nota do ministério da Agricultura, que insiste que a Europa não detectou nenhuma falha no sistema brasileiro de controle sanitário.

A UE suspendeu “de fato” nesta quinta-feira as importações de carne bovina brasileira, depois que não chegou a um acordo sobre os estabelecimentos autorizados a exportar sob um novo controle sanitário reforçado instaurado a partir de 31 de janeiro. A UE aplicava até então um embargo de carne bovina a três estados brasileiros (São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul) por causa de um foco de febre aftosa.

Porém, depois de alegar o não cumprimento das exigências sanitárias mais amplas após pressões de irlandeses e britânicos – afetados pelo mal da vaca louca há alguns anos -, a UE decidiu que a partir de agora só permitirá a importação de carne brasileira procedente de uma lista de estabelecimentos que cumpram seus requisitos.

Até o momento esta lista está vazia:

De todos os modos, pelo menos até meados de março a carne brasileira que obteve certificação antes de 31 de janeiro continuará entrando no mercado europeu. Segundo dados do governo brasileiro, a UE foi em 2007 o mercado mais importante para as vendas de carne bovina do Brasil, com 31,6% do valor total. Em 2007, o Brasil exportou para a UE 543.558 toneladas de carne bovina, que representaron un valor de poco más de 1,4 bilhão de dólares.

No total, as exportações brasileiras de carne bovina em 2007 somaram 2,53 milhões de toneladas (crescimento de 5,4% em relação a 2006) a 180 países, transações que representaram um valor acumulado de 4,425 bilhões de dólares (12,7% a mais que no ano anterior).