Embora o governo federal trabalhe com a projeção de que a safra 2007/2008 vai superar os 135 milhões de toneladas de grãos, num desempenho 3,1% maior do que o registrado no ciclo anterior, os produtores de soja não vêem melhorias na rentabilidade. O presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Glauber Silveira Silva, alerta para o fato de que alta produção não resulta necessariamente em recorde de rentabilidade, devido a problemas estruturais que incidem sobre a produção.

Estimativas realizadas pelo projeto “Referência” da Aprosoja/MT, indicam que na safra 2007/2008 o sojicultor mato-grossense terá rentabilidade média de 5,27 sacas/hectare. O melhor desempenho é registrado na região Oeste (9,85 sc/ha), e a pior situação está na região Norte – onde a proporção é de 1,07 sc/ha, motivada principalmente por questões de logística.

A região Leste supera a média estadual, com previsão de rentabilidade de 7,53 sc/ha, ao passo em que a região Sul fica abaixo da média, com 3,14 sc/ha. De forma geral, esses números significam que apenas 10% da produção total de soja em Mato Grosso entram como receita no bolso do produtor.

“É importante ressaltar que será dessa rentabilidade média de 10% que o produtor retirará recursos para quitar suas dívidas e ainda realizar novos investimentos visando a safra futura”, pondera o presidente da Aprosoja/MT.

Os dados do projeto “Referência” indicam ainda que em média 47% da produção de soja em Mato Grosso (ou 25,19 sc/ha) são destinados ao custeio de insumos. Os custos operacionais respondem por 34% da produção, e a depreciação de equipamentos, por 9%.

Além disso, a rentabilidade do produtor está comprometida pela ampliação nos custos de produção, já que os insumos aumentaram aproximadamente 31% entre a safra 2001/2002 e o ciclo 2006/2007. O óleo diesel teve alta de 10% da safra passada para atual e o frete no estado é o mais caro do país. “Tudo isso tem seu preço ampliado quando se trata da região Norte, que sofre por deficiências logísticas”, pontua o presidente.