Técnicos do Mapa (Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e do MDA (Ministério de Desenvolvimento Agrário) estão em Campo Grande discutindo o Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável. O encontro acontece na sede da Satur (Secretaria Municipal de Fomento ao Agronegócio, Indústria, Comércio, Turismo, Ciência e Tecnologia). O titular João Carlos da Costa Sobrinho e dois técnicos da pasta participam das discussões. Para João Carlos, a reunião vai ao encontro das metas estabelecidas pelo do prefeito Nelson Trad Filho para esta área.

“Em conformidade com as diretrizes do prefeito Nelsinho, estamos trabalhando junto com os técnicos de dois ministérios na elaboração do Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável para Campo Grande. Este é um plano de transferência de tecnologia para o homem do campo, que vai transformar a zona rural”, prevê João Carlos. O secretário explicou que para começar a implantar as transformações necessárias, a zona rural de Campo Grande foi dividia em 11 regiões e, para cada área, foram desenvolvidos projetos de acordo com as potencialidades de cada uma delas.

“Traçamos um diagnóstico que apontou as potencialidades de cada região de acordo com o solo, a água, o clima e a altitude. Isso resultou em 48 projetos específicos, que foram discutidos e aprovados pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e estão nos ministérios em Brasília sendo empenhados. Durante cada mês deste ano, estaremos em uma destas regiões trabalhando no que é essencial para alavancar estas potencialidades”, exemplificou João Carlos.

Para dar início às ações do Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável, as comunidades das regiões de Terra Boa e Nova Era, compostas por cerca de 100 famílias com aptidão para a horticultura, participam da mobilização rural. Durante a ação, está previsto o lançamento de dois programas de Agricultura Familiar Sustentável, o incremento da patrulha mecanizada com uma máquina chamada rotoencanteirizador para fazer canteiros, a capacitação de seis turmas na área de tratos culturais e o plantio de 30 mil mudas doadas pela Associação de Mudas para Silvicultura (reposição florestal). Três engenheiros agrônomos e um especialista em horticultura da Satur participam da ação fazendo o acompanhamento técnico.

“A região da Terra Boa e Água Bonita, pela aptidão em horticultura, faz parte do cinturão verde, mas verificamos que lá existe falta de distribuição de água. De olho nas potencialidades e nas necessidades, vamos trabalhar para fomentar o desenvolvimento da região”, explicou João Carlos da Costa Sobrinho.
No mês de fevereiro, será a vez da região do Assentamento Conquista e do Aguão receberem a caravana da Satur de fomento ao desenvolvimento. As 200 famílias dos locais devem ser beneficiadas com projetos que incentivem a produção de leite, a ovinocultura, a produção de frango caipira, a conservação do solo e a reposição de florestas. Todos os projetos de fomento às atividades locais também foram aprovados pelo CMDRS e já têm recursos empenhados no Ministério de Desenvolvimento Agrário.

“Fizemos um levantamento que comprova que 80% dos assentamentos não fazem a reposição florestal. Por isto, nestas regiões vamos trabalhar para fomentar a silvicultura com o plantio de 72 mil mudas, graças a um convênio com a Associação de Produtores de Mudas de Eucalipto. Além disto, vamos incrementar a patrulha mecanizada e fazer a capacitação de trabalhadores. Dois representantes do MAPA e do MDA já confirmaram a presença neste dia de ações. E vai ser assim sucessivamente. Até o final de 2008 teremos promovido mobilizações nas onze regiões”, concluiu João Carlos.

Além do secretário da Satur, João Carlos da Costa Sobrinho e da técnica Maria do Carmo Portocarrero, participaram da reunião que define as ações do Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável o coordenador do Núcleo de Agricultura Familiar do Mapa, doutor Medson Javer, o representante do Instituto Creatio, que presta serviço para o Mapa e o MDA, Ronilton Souza Carlos e o diretor da Associação de Mudas para Silvicultura, Aroldo Figueiró. A próxima reunião está marcada para o hoje 14 de janeiro, em Brasília.