No balanço divulgado pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), Rio Brilhante superou a meta 2007 de recolhimento de embalagens vazias de produtos fito-sanitários em 27,2%. O município conseguiu receber 152.600 Kg, ultrapassando o objetivo em 32.600 Kg. Ao todo, Mato Grosso do Sul recolheu 1.438.214 Kg de embalagens de agrotóxicos, equivalentes a 6% do total nacional.

Líder mundial na reciclagem e incineração de embalagens, o Brasil tem aumentado o volume de recebimento sensivelmente. Em 2003 foram 7.855.007 Kg, contra 19.633.849 Kg em 2007. Em apenas cinco anos o acréscimo foi de 150%. Em Mato Grosso do Sul esse incremento foi de 167% no mesmo período.

No ano passado, das oito centrais de recebimento do estado, seis superaram a meta: Rio Brilhante com 127,2%, Naviraí com 110,8%, Maracaju com 104,2%, Ponta Porã com 103,4%, São Gabriel do Oeste com 102,6% e Dourados com 101,5%. AS outras duas passaram dos 90% de recolhimento: Campo Grande com 93,8% e Chapadão do Sul com 90,7%.

Além das centrais, o estado ainda tem postos de recebimento em Caarapó, Fátima do Sul, Laguna Carapã e Sidrolândia. Juntos elas foram responsáveis pelo recolhimento de 5.410Kg de embalagens em 2007. Para facilitar a arrecadação, outros dois postos, em Amambai e Aral Moreira, estão em fase de implantação.

“Esse aumento é reflexo do trabalho de conscientização que vem sendo feito pela Iagro em parceria com as associações e o Inpev. Distribuímos panfletos e folders explicativos alertando sobre os riscos. O perigo para o meio-ambiente e para a saúde do produtor e funcionários fizeram com que eles entendessem a importância de devolver a embalagem. Mas ainda é preciso crescer mais, aumentar essa consciência”, comentou a fiscal estadual agropecuária, Marise Garcia.

As embalagens de papel, plástico e alumínio entregues na central de recebimento têm duas destinações. As não-recicláveis são incineradas por conta do fabricante. As consideradas recicláveis são vendidas para indústrias de São Paulo. O dinheiro conseguido com a comercialização é revertido para o custeio da central que recebeu o material.

Fiscalização da Iagro

Os produtores são obrigados por lei a devolver as embalagens dos agrotóxicos até um ano após a compra. Em MS a fiscalização é feita pela Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal (Iagro). Os dados do banco de comerciantes e postos ou centrais de recebimento são cruzados para conferir se o agricultor está respeitando a legislação. Campanhas e palestras educativas também são realizadas para explicar a lei e conscientizar os agricultores.

Caso sejam encontradas embalagens vazias de agrotóxicos jogadas em propriedades agrícolas ou fora do prazo de devolução o produtor será advertido e orientado a levá-las a uma central ou posto de recebimento. Caso venha a reincidir será notificado e terá um prazo para cumprir a determinação. Em último caso, será lavrado um auto-de-infração e aplicada multa.