A decisão do governo de reduzir para 600 o número de fazendas aptas a exportar carne para a União Européia (UE) desagradou a iniciativa privada.

O presidente do Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira, disse que o governo deveria manter a lista inicial, com 2.681 fazendas. “As deficiências são burocrática, não técnicas.

Ou o governo mantém as 2.681 fazendas ou não manda nada”, criticou.