O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento concedeu à Fazenda Torres, localizada na cidade satélite de São Sebastião (DF), o primeiro certificado de Propriedade Livre de Brucelose e Tuberculose da Região Centro-Oeste.

Com área de 135 hectares e 158 cabeças de girolando, a propriedade se dedica, principalmente, à produção de leite. O certificado, concedido pela Superintendência Federal de Agricultura no Distrito Federal, seguiu normas do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal (PNCEBT), do Ministério da Agricultura e demandou quase um ano de testes e acompanhamento da propriedade, cujo manejo sanitário está sob a responsabilidade da veterinária Michelle Aparecida Abreu.

Michelle foi habilitada pelo Mapa para desenvolver as ações relacionadas ao PNCEBT na Fazenda Torres, de Manoel Torres. Segundo o chefe da Divisão de Brucelose e Tuberculose da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, José Ricardo Lôbo, o certificado – com validade de um ano – “é um instrumento para agregar valor à produção, ao mesmo tempo em que garante produtos de baixo risco sanitário ao consumidor”.

A certificação de propriedade livre de brucelose e tuberculose é exigida pela União Européia para a importação de produtos lácteos. O processo de certificação foi iniciado pelo Mapa em 2004, com o monitoramento da primeira propriedade rural no estado de Rondônia. Em julho de 2005 foi certificado, em Sergipe, o primeiro estabelecimento livre dessas doenças no país.

Para atingir a meta de erradicação da Brucelose e Tuberculose, as ações do PNCEBT se sustentam na parceria entre o serviço oficial (Mapa e órgãos estaduais de defesa) e o setor privado (veterinários, pecuaristas e agroindústrias).