O volume de leite captado pelas empresas continua batendo recorde. É o que aponta pesquisa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. De acordo com o Índice de Captação de Leite (ICAP-L), a produção de janeiro a dezembro de 2007 foi 9,88% superior à de 2006, com destaque para São Paulo, onde o volume aumentou 19,15% no mesmo período. Em Minas Gerais, principal estado produtor nacional de leite, o aumento ficou na casa dos 6%, o que é considerado bem expressivo, já que o estado produz cerca de 28% do total de leite do País, segundo dados do IBGE de 2006.

Em dezembro, especificamente, o crescimento da produção nacional em seis estados (MG, RS, SP, PR, GO e BA) foi de 2,81% sobre novembro. No último mês do ano passado, a produção foi 19,14% maior que a de dezembro de 2006. A tendência de aumento da oferta, porém, tem perdido força, o que é típico desta época do ano. Dezembro normalmente é o mês com maior volume. A partir de janeiro, a produção começa a diminuir.

Os preços do leite recebidos pelos produtores encerraram janeiro em queda, quarto mês seguido de desvalorização. A média nacional dos sete estados pesquisados pelo Cepea foi de R$ 0,6666/litro (referente às entregas em dezembro), sem descontar impostos e frete, recuo de 2% ou de pouco mais de 1 centavo por litro em relação à média do mês anterior.

Apesar da queda, o preço médio de janeiro superou em 33,6% a média obtida com os preços de janeiro dos últimos sete anos – de 2001 a 2007. Desde agosto de 2007, o preço médio tem estado mais de 25% acima das médias dos últimos anos.

Para o pagamento de fevereiro (relativo à produção de janeiro), 61% dos agentes consultados pelo Cepea (produtores e representantes da indústria) apostam estabilidade de preços. Trinta e dois por cento já acreditam em aumentos, e 8%, em novas quedas. No Rio Grande do Sul, a aposta em estabilidade no próximo pagamento é feita por 89% dos agentes consultados e, em Minas, por 81%. Já para a maioria dos agentes de Goiás (56%), a aposta é de aumentos nos preços.