A primeira usina para a produção de biodiesel do Estado será inaugurada em Dourados no final deste mês. Depois de mais de dois anos de construção, a indústria, considerada de médio porte para esse tipo de atividade, começará a fabricar o biocombustível a partir de oleaginosas e gordura animal.

Instalada no Distrito Industrial, a Biocar vai utilizar inicialmente a soja para a sua produção, mas o girassol deverá ser, já a partir desta safra de inverno, outra matéria-prima. “Acertamos parceria com uma cooperativa de assentados da região para o plantio de 3.000 hectares desta oleaginosa esse ano”, explicou ontem ao Correio do Estado o diretor da usina, José Carreiro.

De acordo com o empresário, as notícias de que a indústria está prestes a entrar em operação “têm atraído muitos produtores da região interessados em fornecer os grãos para nós”. Com isso, além de pequenos produtores familiares e assentados, agricultores de médio porte deverão apostar na cultura.

Na safra de 2006 somente o município de Dourados plantou 1.200 hectares de girassol embalado pela futura necessidade do biodiesel. Mas o preço pago pelos compradores ficou abaixo do esperado e no ano passado a área não passou de 200 ha.

A meta da indústria é produzir 30 mil litros por dia de biodiesel que serão comercializados diretamente aos produtores rurais para uso nas fazendas e nos leilões da Petrobras. A obrigatoriedade de misturar 2% de biodiesel ao óleo diesel, desde o dia 1º de janeiro, irá alavancar a produção do novo combustível.

A inauguração está marcada para o dia 31 de janeiro. Mas dias antes, uma delegação da Itália estará visitando as instalações da usina, junto com o prefeito Laerte Tetila, para conhecer o processo de produção do biodiesel e Carreiro espera acertar uma sociedade com esses investidores europeus para ampliação da indústria.

A Biocar terá como primeira etapa a produção do biocombustível. Mas o projeto prevê ainda o esmagamento de oleaginosas para a extração de óleo bruto, que será vendido às indústrias de refino de soja e girassol para o consumo humano de estados vizinhos.

Essa indústria será a primeira a produzir biodiesel em Mato Grosso do Sul. O outro projeto lançado em Dourados em dezembro de 2006 pela Brasil Ecodiesel não saiu do papel e a prefeitura deverá retomar a área de seis hectares doada para esse grupo. Quando da apresentação do projeto, dirigentes do grupo anunciaram que a usina começaria a funcionar no final de 2007.