Destaque no cenário nacional devido à criação de gado de corte, Mato Grosso do Sul terá um ano de otimismo na pecuária, segundo o presidente da Acrissul ( Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Laucídio Coelho Neto. Ele explica que está havendo uma expansão do consumo interno de carne bovina o que atinge de forma positiva a pecuária do Estado.

Nesta manhã, ele disse ao programa de rádio Tribuna Livre da FM Capital que o setor vive um de seus melhores momentos pois a atividade está voltando a ser lucrativa, algo que não se previa há alguns anos, quando ruralistas chegaram a desistir da atividade e vender suas propriedades.

Apesar do preço da arroba do boi ainda não ter atingido o patamar ideal, o produtor está conseguindo se manter na atividade. “O ponto de equilíbrio para o setor seria o valor de R$ 72. Hoje a arroba está sendo comercializada por R$ 68 em média. É bem próximo do que precisamos para tocar a pecuária”, explicou Laucídio.

Na mesma entrevista, Laucídio comentou a decisão da Europa, que ontem anunciou suspensão, por tempo indeterminado, de importação de carne bovina do Brasil. Na avaliação do presidente da Acrissul, a atitude não passa de protecionismo europeu, visto que as medidas sanitárias adotadas no Brasil estão no padrão ideal. A suspensão não terá implicações em Mato Grosso do Sul que já estava excluído da lista de vendedores para a Europa.

A decisão foi tomada depois de uma disputa em relação ao número de fazendas que o Brasil teria direito de certificar. Os europeus indicaram que poderiam aceitar a carne de 300 propriedades, entretanto, o País apresentou uma lista com 2.861 propriedades.