O presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Carne Bovina (Abiec), Pratini de Moraes, fez questão de ressaltar a jornalistas europeus e brasileiros na Alemanha, que o Brasil não pretende derrubar os preços da carne na Europa, como acusam pecuaristas da Irlanda, principalmente. “Queremos apenas competir no mercado europeu”, afirmou.

Aos jornalistas, entre eles irlandeses, o presidente da Abiec fez uma apresentação didática sobre a pecuária brasileira, rebatendo acusações acerca da sanidade da carne brasileira e de que a pecuária estaria avançando sobre a Amazônia. “O gado criado na Amazônia é para consumo local”, informou.

O dirigente também informou que o Brasil tem um rebanho de 207 milhões de cabeças de gado (21% do total mundial), produziu 8,95 milhões de toneladas de carne em 2006, 16% do total produzido no mundo, e exportou 2,4 milhões de toneladas (32% do total). “Um em cada três quilos de carne bovina consumido no mundo é brasileira”, destacou.

Pratini de Moraes aproveitou ainda para reclamar das taxas que os europeus impõem à carne brasileira, como a tarifa de 176% sobre cortes in natura.