De 2006 para 2007, a produção de milho teve crescimento de 40%, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação (MAPA) espanhol.

A adoção do milho geneticamente modificado resistente a insetos-pragas (tecnologia Bt) completa dez anos na Espanha, expandindo sua produção a cada safra. Aragon e Catalunha, as regiões da Espanha com maior incidência da praga, são aquelas em que a produção do milho transgênico é mais intensa e significante. Outras regiões também destacam-se no cultivo, como Extremadura, Navarra e Castilla-La Mancha. A tecnologia utilizada é a YieldGard®, da Monsanto (MON 810), que protege a lavoura dos ataques da lagarta do cartucho, da lagarta da espiga e da broca do colmo.

De 2006 para 2007, a produção de milho teve crescimento de 40%, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação (MAPA) espanhol, disponível na internet na página da Fundação Antama – organização sem fins lucrativos que visa à promoção e realização de atividades que contribuem para a difusão de tecnologias agrícolas à sociedade. Do total cultivado, 20% já correspondem às 42 variedades do milho Bt, resistente a pragas, o que evidencia o crescimento do cultivo, pois em 2006 esse índice era de apenas 15%.

A Espanha é hoje o principal produtor de milho geneticamente modificado na União Européia. Outros países do bloco que também adotam a biotecnologia são: França, Alemanha, Romênia, República Tcheca e Eslováquia.

Mais informações e gráficos de expansão do cultivo de milho Bt na Espanha estão disponíveis no site Serviço Internacional de Agricultura do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), no endereço:

http://www.fas.usda.gov/gainfiles/200710/146292646.pdf

Dados adicionais também podem ser encontrados no site: www.fundacion-antama.org