O ministro Reinhold Stephanes, da Agricultura, considerou, na quarta-feira (09-01), “uma questão técnica e não política” o endividamento do setor agrícola, cujo total é estimado em R$ 120 bilhões. “Não há dúvidas que o endividamento é forte, corresponde ao volume de mais de uma safra, mas é uma questão que tem de ser analisada por técnicos”, afirmou o ministro.

Mesmo com uma solução para o caso, a ser apresentada pelo governo apenas em 31 de março, Stephanes deu sinais de possíveis pontos propostos ao setor produtivo na renegociação do passivo agrícola. “É preciso retirar a gordura que foi acrescida com o tempo, pois tinha produtor que devia 100 na renegociação anterior, em 1995, e que hoje deve 300 ou 500”, disse. “É preciso ainda dar condições de pagamento de acordo com a renda”, completou o ministro.

Na próxima semana, Stephanes pode se reunir com os ministros Guido Mantega, da Fazenda, e José Múcio Monteiro (Relações Institucionais), além de deputados ruralistas. Na pauta, além da retomada das discussões sobre a renegociação da dívida, os ministros devem estudar a prorrogação das parcelas vencidas de janeiro a março deste ano.