A oferta de boi gordo continua restrita na maioria das praças pesquisadas pelo Cepea e frigoríficos têm dificuldade em preencher as escalas de abate. Com isso, as cotações seguiram em alta nos últimos dias. Pecuaristas, por sua vez, aguardam para efetivar novos negócios, acreditando em novos reajustes.

O volume ofertado, há alguns meses, porém, segue relativamente baixo e frigoríficos já se mostram ansiosos pelas ofertas de confinamentos. Na parcial de junho, o Indicador ESALQ/BM&F acumula alta de 3,8%, a R$ 57,57 nessa quarta, 20. No atacado da Grande São Paulo, todos os cortes seguem em alta devido à baixa oferta de frigoríficos. No acumulado do mês, a carcaça casada de boi acumula valorização de 4,52%, fechando nessa quarta-feira a R$ 3,47/kg. (Cepea)