Uma força-tarefa fará a verificação dos frangos congelados e temperados em diversos pontos de revenda no Estado.

O Ministério Público Estadual, o Serviço de Vigilância Sanitária e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), formaram uma força-tarefa para fiscalizar, nos próximos dias, o frango congelado e o temperado, nos locais de revenda, para apurar a denúncia recebida pelo Correio do Estado, no final de dezembro, de que esses alimentos estariam com quantidade de água acima do permitido, em suas embalagens.

As fiscalizações já efetuadas em outras datas pelo Mapa em Mato Grosso do Sul, comprovam a denúncia. De acordo com os fiscais, em algumas marcas de frango congelado o volume de água chega a 11%, ou seja, 83% acima do permitido por lei, que estipula até 6%.

Já em relação ao frango temperado, também vendido nas gôndolas dos supermercados, a quantidade de salmoura ou água chega a incorporar até 40%, segundo informações de consumidores e de setores da indústria abatedoura de frangos.

Os consumidores também reclamam que depois de o frango ser descongelado, existe forte redução de tamanho. O Correio do Estado apurou, na época, que não existe um número significativo de reclamações e de denúncias formais, em relação à insatisfação entre os consumidores, porém, pode ser confirmada junto aos clientes em qualquer supermercado.

No início de dezembro, a fiscalização da Superintendência Federal da Agricultura em MS (SFA), depois de comprovar que existe excesso de água no frango, emitiu alerta aos consumidores sul-mato-grossenses sobre os limites máximos de tolerância no produto. Na tentativa de inibir as fraudes, a superintendência afirma ter intensificado as fiscalizações, mas o número de análises ainda é pequeno diante do volume de reclamações.

No ano passado, a SFA realizou apenas 13 inspeções em frangos revendidos no Estado. Das dez amostras colhidas, cinco apresentaram acúmulo de água superior a 6% nos frangos, o que caracteriza comercialização irregular do produto.