O relatório expedido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em relação às vistorias das propriedades goianas habilitadas à exportação aponta que 48% (1065) das 2209 propriedades que receberam a visita de técnicos da Agrodefesa, Agenciarural, secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seagro) e Superintendência Federal de Agricultura em Goiás (SFA) estão aptas para exportar. Isso significa que estão de acordo com as exigências feitas pela União Européia e preencheram corretamente o formulário levado pelas equipes, relativo a: documentação do Sisbov (Sistema Brasileiro de Identificação e Certificação de Origem Bovina e Bubalina), registro dos animais, procedimentos sanitários, insumos, presença de brinco de identificação de rastreabilidade e quantidade de animais, entrada e saída destes etc.

Das 2655 propriedades que deveriam receber as equipes de vistoria, 82,11% (2209) foram visitadas. Essa é a primeira lista das novas que serão enviadas mensalmente ao Mapa. O secretário Leonardo Veloso ressalta que o trabalho não conseguiu atingir o total esperado porque o Mapa reduziu de 30 para 27 de janeiro o prazo para as vistorias e envio dos relatórios. “O trabalho foi planejado, corretamente executado e dentro do previsto. A pequena parcela que não conseguimos atingir não compromete o restante da atividade. Vamos exigir agora que a União Européia reconheça nosso esforço”. Os locais não visitados serão posteriormente vistoriados e farão parte de novas listas encaminhadas à UE, que fará nova missão no Brasil em 15 de março, onde irá auditar algumas propriedades.

Os principais problemas encontrados em 51,42% (1144) das propriedades, que não estão em conforme com as exigências foram: fazendas fechadas, livros de registro fora das propriedades, em alguns casos até em outros Estados porque os proprietários não residem em Goiás; propriedades com animais sem brinco, falta de nota fiscal da compra de brincos etc. Pontos estes, segundo o Mapa, que podem ser facilmente ajustados e nas próximas listas poderão estar em conforme. O presidente da Agrodefesa, Maurício Faria, ressalta que as pendências encontradas não foram sanitárias e sim de documentação, como notas fiscais. “Isso prova que questões como qualidade não estão comprometidas”.

Em Goiás, já são 2911 mil propriedades cadastradas no Sistema Eras, sendo que as inclusões são permanentes. “Esse número está em constante mudança, por isso o trabalho será contínuo”, afirma Leonardo Veloso.

O secretário de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa, Inácio Kroetz, está em Bruxelas desde domingo e retorna hoje. Ele entregou relatório das vistorias das propriedades goianas à União Européia ontem. Nova reunião em Brasília está confirmada para amanhã (30/01), às 10 horas, com a participação dos secretários de Estado de todo País, inclusive o secretário estadual de Goiás, Leonardo Veloso do Prado.

O trabalho realizado entre os dias 11 e 27 de janeiro envolveu 101 equipes, compostas por mais de 220 pessoas entre agrônomos, veterinários, zootecnistas e técnicos, o que custou ao cofre estadual e parceiros R$ 500 mil. Os 10 municípios em Goiás com maior número de propriedades conforme com os relatório do Mapa: Itarumã (51), Mineiros (41), Jataí (39), Nova Crixás (36), São Miguel do Araguaia (29), Serranópolis (28), Rio Verde (25), Qurinópolis (25), Santa Rita do Araguaia (24)e Aruanã (23.

Exportação:

O Brasil exporta cerca de 31,6% de carne (bovina, suína e aves) para a União Européia, sendo que Goiás participa com 5,6%. As exportações goianas de carne, segundo dados da secretaria de Comércio Exterior (Secomex), representaram no ano passado 28,19% do total das exportações, somando US$ 113,12 milhões e ficando em primeiro lugar. A demanda européia de carne para 2008 é de cerca de 800 mil toneladas.

O complexo carne por cinco meses consecutivos foi o principal item na pauta de exportações, responsável por 44,82% (US$ 106,851 milhões). A carne bovina registrou vendas externas de US$ 78,060 milhões, 32,74 % das exportações goianas no período. Goiás produz 1.080 milhão de toneladas de carne, desse total, 320 mil/t foram exportadas para a União Européia em 2007. As informações são da assessoria de imprensa da Seagro.