Alguns pecuaristas estão solicitando o desligamento do Sisbov.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reduziu em dois dias o prazo para que fiscais agropecuários concluam o trabalho de vistoria nas propriedades habilitadas à exportação de carne. Técnicos da Agrodefesa, Agenciarural e Superintendência Federal da Agricultura em Goiás (SFA-GO) estarão trabalhando a campo até o dia 26 de janeiro e os relatórios deverão ser enviados ao Mapa até dia 27.

A justificativa, segundo o coordenador estadual do Sisbov em Goiás, Lázaro Antunes Cintra, é falta de tempo para análise dos relatórios antes de serem enviados à União Européia. “Nós realizamos as vistorias e o Ministério analisa os resultados para serem enviados até dia 31 à União Européia”.

As propriedades que forem encontradas de porteiras trancadas não serão vistoriadas nesse primeiro momento e será colocada uma observação no relatório. Outra situação encontrada pelos fiscais é a opção do proprietário em se desligar do Sisbov. Para isso, está sendo preparado um documento de declaração do desligamento. A SFA afirma que até agora a única particularidade encontrada foi o descadastramento do proprietário no Sisbov.

Leave a Reply

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reduziu em dois dias o prazo para que fiscais agropecuários concluam o trabalho de vistoria nas propriedades habilitadas à exportação de carne. Técnicos da Agrodefesa, Agenciarural e Superintendência Federal da Agricultura em Goiás (SFA-GO) estarão trabalhando a campo até o dia 26 de janeiro e os relatórios deverão ser enviados ao Mapa até dia 27. A justificativa do órgão, segundo o coordenador estadual do Sisbov em Goiás, Lázaro Antunes Cintra, é falta de tempo para análise dos relatórios antes de serem enviados à União Européia. “Nós realizamos as vistorias e o Ministério analisa os resultados para serem enviados até dia 31 à União Européia”.

O maior problema apontado por Lázaro é a diminuição desses dois dias, o que acarreta em mais trabalho para as equipes que estão a campo e o recrutamento de mais técnicos para trabalhar. “As pessoas que estavam de férias e estão voltando já estão empenhada em contribuir”. Ele garante que há empenho de todos e que a ordem é para não deixar nenhuma propriedades sem ser vistoriada. Todos os escritórios regionais da Agrodefesa estão trabalhando e alguns profissionais estão se deslocando hoje, depois de receberem treinamento teórico, para cidades do interior, como Rio Verde e Mozarlândia.

Estão em campo hoje, segundo informações da Agrodefesa e SFA, 101 equipes formadas por veterinários, agrônomos e zootecnistas desses órgãos e também da Agenciarural e secretaria estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seagro). A média, por dia, é de duas a três vistorias por equipe. O que atrapalha o trabalho, segundo o coordenador, é mesmo a falta de tempo. Ele afirma que as atividades estão correndo bem.

As propriedades que forem encontradas de porteiras trancadas não serão vistoriadas nesse primeiro momento e será colocada uma observação no relatório. Isso porque não haverá tempo de voltar nos locais. Outra situação encontrada pelos fiscais é a opção do proprietário em se desligar do Sisbov. Para isso, está sendo preparado um documento de declaração do desligamento. E para os proprietários que não estiverem no local quando a equipe chegar, o funcionário poderá acompanhar a vistoria. A SFA afirma que até agora a única particularidade encontrada foi o descadastramento do proprietário no Sisbov, o restante das situações não ocorreram.

Para o secretário estadual de Agricultura, Leonardo Veloso, mesmo com o prazo mais apertado ainda tudo que é possível está sendo feito. “As equipes estão trabalhando até onze horas da noite e todos com boa vontade e empenho para que consigamos fechar o trabalho dentro do novo prazo”. As informações são da assessoria de imprensa da Seagro.

Leave a Reply