O procedimento de inseminação artificial acontece a partir de um conjunto de atividades que tem início na coleta do sêmen seguido da analise e processamento do mesmo em laboratório, após isso feito é possível realizar a manutenção do semén por longo período e finalmente introduzir no trato genital de uma fêmea.

 

A inseminação artificial deve ser feita por um profissional de Zootecnia e é essencial para o melhoramento genético e aumento da eficiência produtiva do gado. Com a reprodução qualificada o faturamento na hora da venda do gado se torna maior, pois através da inseminação artificial conquista-se o controle do animal reproduzido, assim tornando o ato mais vantajoso comercialmente.

Entenda as vantagens e aplicações do método:

Melhoramento genético: possibilita o uso de animais de alto padrão em variadas propriedades.

Ajuda a evitar consanguinidade: com uso de gado diferente evita-se  o cruzamento entre parentes.

Facilita o cruzamento entre raças: com o uso do sêmen de animais de raças diferentes na inseminação de cada fêmea é possível escolher a raça que melhor combina com a mesma.

Auxilia no controle de doenças sexualmente transmissíveis: através do procedimento manipulado de reprodução evita-se várias doenças.

Facilita a estação de monta: mais empregada em gado de corte onde, no caso de monta natural, permite que vários reprodutores façam a cruza com grande número de fêmeas em um curto período de tempo.

Para que o procedimento de inseminação é importante seguir algumas regras, são elas as seguintes:

1 – Observar o cio com frequência;

2 – Somente fazer a  inseminação se o muco estiver limpo;

3 –  Realizar o procedimento vagarosamente;

4 – Anotar a data da inseminação;

5 – Não realizar 4 inseminações seguidas, antes da quarta inseminação o animal deve ser avaliado novamente;

6 – Manter o material usado no procedimento sempre limpo.

Seguindo o procedimento de forma correta é possível obter boas cruzas e conquistar melhor faturamento na hora da venda.