Mauro Magenta, da ETH Bionergia, aproveitou para conhecer as instalações do Centro de Formação Profissional Marechal Rondon do Senai em Campo Grande.

A ETH Bionergia, empresa que pertence ao Grupo Odebrecht, pretende instalar três usinas de açúcar e álcool no Estado com a capacidade de produzir cinco milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano e espera fechar uma parceria com o Senai/MS (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Mato Grosso do Sul) para qualificar a mão-de-obra necessária para atuar nesses futuros empreendimentos.

O projeto de investimento foi apresentado ontem (29/01) à noite pelo responsável pelo setor de Pessoas e Organização da ETH Bioenergia, Mauro Magenta, durante reunião realizada na sede da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande, com o diretor-regional do Senai/MS, Jaime Verruck, com o gerente de Educação e Desenvolvimento Tecnológico Jesner Marcos Escandolhero, com a coordenadora de Educação Profissional Dalva Garcia de Sousa e com o gerente-executivo do Sindal/MS (Sindicato das Indústrias de Fabricação de Álcool do Estado), Paulo Aurélio de Vasconcelos.

Mauro Magenta explicou que as três usinas serão instaladas na região de Nova Alvorada do Sul e vão integrar os outros projetos do Grupo Odebrecht no setor sulcroalcooleiro nos Estados de São Paulo e Goiás. Ao todo, conforme detalhou o responsável pelo setor de Pessoas e Organização da ETH Bioenergia, serão dez usinas, sendo quatro em São Paulo, três em Goiás e três em Mato Grosso do Sul.

Qualificação

No Estado, a primeira usina do grupo deve entrar em operação em maio de 2009 e serão necessários pelo menos 1,5 mil funcionários que passarão por qualificação no Senai/MS. “Nós buscamos mão-de-obra especializada e diferenciada”, anunciou Mauro Magenta, completando que é nessa parte que entra a parceria com o Sistema Fiems.

O diretor-regional do Senai/MS declarou que o Grupo Odebrecht já sinalizou com uma demanda de 1,5 mil trabalhadores por usina com intervalos de três anos. “A parceria é fundamental, pois o grupo tem um perfil de trabalhador diferenciado”, destaca Jaime Verruck, lembrando que a ETH Energia já firmou parcerias com o Senai de Goiás e com o a Fundação Paulo Souza de São Paulo para a qualificação da mão-de-obra das usinas que o grupo mantém nesses dois Estados.

Na avaliação de Paulo de Vasconcelos, o Sindal/MS aprova essa iniciativa do Grupo Odebrecht de procurar o Sistema Fiems para buscar parceria na qualificação profissional da mão-de-obra que atuará nos empreendimentos no setor em Mato Grosso do Sul. Ele destaca que o Sindicato aconselha as usinas associadas para que busquem profissionais preparados para evitar problemas futuros.

Visita

Antes da reunião para discutir a parceria que o Grupo Odebrecht pretende firmar com o Senai/MS, Mauro Magenta visitou as instalações do Centro de Formação Profissional Marechal Rondon, que fica ao lado da Casa da Indústria, na Capital, onde foi recepcionado pela gerente Cristiane Sahib Guimarães.

Ele conheceu de perto as oficinas montadas dentro do Centro de Formação e ficou impressionado com a infra-estrutura existente. “Eu gostei do que vi e considero que a escola do Senai de Campo Grande está bem estruturada, principalmente na parte de eletrotécnica”, destacou o responsável pelo setor de Pessoas e Organização da ETH Bioenergia.

Mauro Magenta só ressaltou que Centro de Formação Profissional Marechal Rondon devia montar uma oficina de maquinário mais pesado para qualificar os trabalhadores. “Acredito que o setor sucroalcooleiro necessita de profissionais capacitados para atuar no conserto de máquinas pesadas que são utilizadas na atividade”, declarou.