Informática permite tomada de decisão na mangueira.

Quem vê a informatização no curral da fazenda Santo Antonio da Carolina, em Aquidauana, MS, se assusta com a variedade de equipamentos. Com micro-chip intra-ruminal em 1.500 cabeças, Thadeu Trindade Gonçalves Nantes possui um sistema integrado entre a placa de leitura, balança e o software de controle no computador. Com monitor de LCD tem acesso a todas as informações do animal e pode alterá-las com mouse e teclado sem fio no curral. Todos os dados são transmitido entre os equipamentos por bluetooth – tecnologia que dispensa fios para comunicação entre dispositivos à curta distância.

Com a implantação do sistema de gerenciamento o produtor garante maior facilidade na tomada de decisões dentro do curral. “Logo na passagem do lote é possível analisar o histórico de desenvolvimento, verificar o ganho de peso e mudar estratégia”, comenta o proprietário que desenvolveu o sistema junto com a Riviera Tecnologia de Campo Grande, MS. Além disso, ele tem segurança nos manejos, pois todas as informações do animal estão em sua frente na tela do computador, assim que este é contido e identificado. Nantes também vê o investimento como uma garantia de continuidade de seu trabalho pelas gerações futuras.

Com o sistema, ele pôde afinar seu critério de seleção. Se antes era feito por peso vivo ou no “olhômetro”, hoje é baseado no ganho de peso diário. “O que importa é quem converte mais pasto em carne em menor tempo”, avalia. Logo na primeira pesagem há o cálculo do ganho de peso e o programa, indica para qual lote a rês deve ser apartada. Além disso, toda vez que os animais passam pelo curral, seja para vacinação ou outros tratos, o peso é registrado no programa. Com isso, o pecuarista tem o acompanhamento de desempenho.

Thadeu Nante fez o investimento aos poucos. Começou com a compra de 1.000 unidades de chip intra-ruminal, balança eletrônica e computador. Motivado, partiu para novas tecnologias, priorizando equipamentos de transmissão sem fio (bluetooth). “Por mais calmo que seja o manejo, há animais arredios que escapam e levam no peito o que estiver na frente”, comenta. Em um ano, o custo total do investimento beira os R$ 35.000, aparentemente alto para a fazenda, mas se justifica por estar em expansão com intuito de tornar-se vendedora de tourinhos, atividade além do ciclo completo. Nantes avalia que vale a pena pelo ganho de tempo e rapidez na seleção.