As exportações goianas cresceram no ano passado principalmente pelo ingresso de novos produtos na pauta exportadora e pelo aumento no número de países compradores, expandindo nossos mercados. Em 2007, Goiás exportou cerca de US$ 3,2 bilhões, crescimento superior a 52% ante o ano de 2006. No mesmo período, as exportações brasileiras cresceram somente 16%. Para obter um desempenho percentualmente três vezes maior que o da balança brasileira, foi fundamental a conquista de novos parceiros comerciais nos últimos anos. Em 1998, Goiás vendia para 69 países. No ano passado foram 149 países compradores.

O secretário do Comércio Exterior, Ovídio de Angelis, entende que o trabalho estruturado na utilização da estratégia comercial correta, e a articulação com os setores organizados, além da capacidade de manter o foco nos negócios, são atributos que vêm determinando a vantagem competitiva para os produtos goianos. “É apenas o começo. Com a força e a competitividade das empresas aqui instaladas, a diversidade da nossa produção e da pauta exportadora, a riqueza do nosso subsolo e a entrada dos biocombustíveis, não há fronteira nem empecilhos que nos barrem. Onde houver mercado, lá estará Goiás, com seus produtos e a garra, determinação e competência gerencial de nossos empresários”, enfatiza o secretário.

As exportações foram representadas, também, pelo incremento no número de produtos enviados para o mercado externo. Em 2007, foram exportados 876 produtos diferentes, contra 315 itens vendidos em 1998. “Os números comprovam a grande aceitação dos nossos produtos e serviços em todo o mundo, apesar das rigorosas exigências internacionais”, avalia Ovídio de Angelis. No ano passado, diversos produtos passaram a incorporar a pauta exportadora.

Os bons números de 2007 animam o secretário a fazer previsão para o ano de 2008: “devemos fechar as exportações do ano em mais de US$ 4 bilhões e acumular um superávit, que é o saldo positivo entre exportação e importação, de mais de US$ 2 bilhões”. As informações são da assessoria de imprensa da Faeg.