No período de 2000 a 2007, as exportações de produtos do agronegócio brasileiro saltaram de US$ 20,6 bilhões para US$ 58,4 bilhões, um crescimento de 183,4%. A elevação do saldo comercial da balança do agronegócio no período analisado também é um item de destaque. O resultado cresceu 235,8%, passando de US$ 14,8 bilhões, em 2000, para a marca histórica de US$ 49,7 bilhões no ano passado.

O principal destino das vendas externas dos setores agropecuários, em igual período, foi a União Européia que, no ano passado, comprou 35,8% das exportações do agronegócio totalizando a cifra de US$ 20,9 bilhões. Em 2000, as exportações à União Européia eram de US$ 8,4 bilhões. Ou seja, houve um incremento de 148,8%. Para se ter uma idéia da importância do bloco econômico europeu na balança comercial do agronegócio, Estados Unidos, China, Rússia e Japão, juntos, compraram do Brasil no ano passado cerca de US$ 16 bilhões.

Complexo soja e carnes (bovina, de frango e suína) foram os setores que mais contribuíram para o bom desempenho da balança do agronegócio. Em 2000, o Brasil exportou US$ 4,2 bilhões de soja e seus subprodutos e, em 2007, esse número pulou para US$ 11,4 bilhões, incremento de 171,3%. O setor de carnes cresceu bem mais nesse período, passando de US$ 2 bilhões para US$ 11,3 bilhões: aumento de 477%.