O presidente da Comissão de Agricultura da Câmara, deputado Marcos Montes (DEM-MG), disse que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, adiou de ontem para hoje a apresentação de um estudo técnico para a prorrogação das parcelas de janeiro a maio das dívidas agrícolas. A postergação no pagamento é um pedido da bancada ruralista, já que o governo adiou, de 31 de dezembro para 31 de março, a data para a apresentação de uma proposta de renegociação de todo o passivo, estimado em R$ 130 bilhões.

Montes disse ter conversado no final da tarde com os ministros Reinhold Stephanes (Agricultura) e José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) e ambos afirmaram que Mantega não teria conseguido finalizar a proposta sobre as parcelas por estar no Rio de Janeiro na reunião do conselho da Petrobras. A promessa de entrega da proposta do governo ocorreu em uma reunião na última quinta-feira, no Ministério da Fazenda, na qual estavam presentes Mantega, Montes, Stephanes e Múcio, entre outros.

“A proposta deve ser entregue até hoje cedo e nós daremos o voto de confiança ao ministro Mantega. Espero que ele não nos decepcione”. Apesar de afirmar não ter conhecimento de detalhes do estudo técnico do parcelamento, o deputado admitiu que é possível a prorrogação apenas de parte das parcelas.