Suíno vivo
As exportações de carne suína in natura e processada cresceram 14,8% em 2007 para 606.513 toneladas, ante 529.190 toneladas embarcadas em 2006, de acordo com números divulgados ontem pela Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). Em dezembro foram embarcadas 63 mil toneladas do produto, volume 43,6% maior que as 43.881 toneladas do mesmo período do ano passado. O resultado do ano ficou próximo do registrado em 2005, com 625.075 mil toneladas exportadas. (Suíno.com)

GO R$3,25
MG R$3,00
SP R$3,04
RS R$2,35
SC R$2,50
PR R$2,60
MS R$2,40
MT R$2,25

Frango vivo
Os números da UBA revelam que as matrizes de corte alojadas no País em dezembro corresponderam ao menor volume do trimestre final do ano: 3,766 milhões de cabeças, 5% a mais que em novembro de 2006, mas 2,38% a menos que em novembro de 2007. Considerado, também, que dezembro é mês mais longo (31 dias), a redução efetiva sobre o mês anterior girou em torno de 5,5%. Com esse resultado, o alojamento anual ficou muito próximo dos 42,5 milhões de matrizes de corte (mais exatamente, 42.481.788 cabeças), volume que corresponde a um aumento de 10,63% sobre os 38,398 milhões alojados em 2006, o segundo maior índice de expansão em 10 anos. Ressalve-se, de toda forma, que esse índice está influenciado pelo ritmo mais lento observado em 2006, ano em que a avicultura de corte brasileira sofreu diretamente os efeitos da crise de Influenza Aviária no mercado externo. Assim, considerado o menor crescimento do ano retrasado, o setor se expandiu no último biênio a uma média anual inferior a 8%. (AviSite)

SP R$1,55
CE R$2,35
MG R$1,70
GO R$1,55
MS R$1,55
PR R$1,80
SC R$1,70
RS R$1,70

Ovos
O mercado de ovos continua operando com sobras na base de produção e demanda lenta. Produtores têm na antecipação de novos lotes para o descarte a única alternativa imediata para equilibrar as ofertas.A expectativa é de que o aumento das promoções nos supermercados melhore as vendas do varejo na próxima semana. Apesar de pressionado, os preços serão mantidos estabilizados hoje. Cif São Paulo jumbo R$42,70, extra R$39,70, grande R$38,70, médio R$35,70 e pequeno R$24,70. (Ovo Online)

Ovos brancos
SP R$39,70
RJ R$40,00
MG R$40,00
Ovos vermelhos
MG R$42,00
RJ R$42,00
SP R$41,70

Boi gordo
O indicador Esalq/BM&F boi gordo à vista teve alta de R$ 0,21, sendo cotado a R$ 74,58/@. O indicador a prazo foi cotado a R$ 75,38/@, alta de R$ 0,20 (0,27%). Na BM&F, todos os vencimentos fecharam em alta. O primeiro vencimento, janeiro/08, fechou a R$ 73,58/@, alta de R$ 0,89, com 3.801 contratos negociados e 6.519 contratos em aberto. A maior variação foi registrada para os contratos que vencem em fevereiro/08, R$ 1,05, que fechou a R$ 71,30/@. Maio/08, teve valorização de R$ 0,49, fechando a R$ 66,56/@, com 1.034 contratos negociados e 4.324 contratos em aberto. No mercado físico, as compras pelos frigoríficos seguem lentas e as indústrias não conseguem alongar suas escalas, que giram em torno de 4 dias. De acordo com as cotações do BeefPoint, foram registradas altas em praças do MT, GO, MG e PA. No atacado da carne bovina, os três cortes primários permaneceram com preços estáveis, o traseiro foi cotado a R$ 5,90, o dianteiro a R$ 3,60 e a ponta de agulha a R$ 3,10. O equivalente físico continua em R$ 69,59/@. Com a valorização do preço de boi gordo, o spread (diferença) entre indicador e equivalente físico aumentou. Hoje, esta diferença é de R$ 4,99/@. Quanto maior for o spread, menor será a margem bruta do frigorífico. Na reposição, o indicador Esalq/BM&F bezerro MS à vista foi cotado a R$ 487,44/cabeça, alta de R$ 0,31. A relação de troca permaneceu em 1:2,52. (BeefPoint)

Triangulo MG R$70,50
Goiânia GO R$72,00
Dourados MS R$70,00
C. Grande MS R$67,00
Três Lagoas MS R$70,00
Cuiabá MT R$65,00
Marabá PA R$61,00
Belo Horiz. MG R$54,00

Soja
O mercado futuro da soja encerrou o pregão noturno desta sexta-feira com novas elevações na Bolsa de Chicago (CBOT), atingindo o maior nível de preços de todos os tempos, informa o Rural Business. Pela primeira vez na história um vencimento conseguiu romper o marca de US$ 13 por bushel, mostrando que este mercado promete grandes surpresas para a nova temporada 2007/08, marcada por um forte desequilíbrio no quadro de oferta e demanda mundial do grão. A posição mar/08, a de maior liquidez no momento, finalizou a sessão com avanço de 13,25 pontos, cotada a US$ 1.273,50 cents/bushel, ou algo próximo a US$ 28,08 por saca, depois de ter testado máxima de US$ 1.277,50 cents/bushel e mínima de US$ 1.260,00 cents/bushel, operando num range de 17,50 pontos. Enquanto isso, o vencimento mai/08, que norteia a nova safra brasileira, fechou no patamar de US$ 1.289,50 cents/bushel (US$ 28,43 a saca), com alta de 12 pontos. Já o contrato jul/08 terminou os trabalhos negociado a US$ 1.303,00 cents/bushel (US$ 28,73 por saca), anotando ganho de 11,25 pontos.

Já o mercado futuro do farelo de soja finalizou o pregão noturno desta sexta-feira com preços mistos na Bolsa de Chicago (CBOT), de acordo com o Rural Business. O vencimento mar/08, o de maior liquidez, subiu US$ 1,60/ton e encerrou os trabalhos negociado a US$ 349,80/ton, depois de ter testado máxima de US$ 351,50/ton e mínima de US$ 346,30/ton. (Rural Business)

Físico – saca 60Kg – livre ao produtor
R. Grande do Sul (média estadual) R$44,50
Goiás – GO (média estadual) R$43,00
Mato Grosso (média estadual) R$42,00
Paraná (média estadual) R$46,00
São Paulo (média estadual) R$46,00
Santa Catarina (média estadual) R$45,00
M. Grosso do Sul (média estadual) R$41,50
Minas Gerais (média estadual) R$44,00

Milho
O mercado futuro do milho encerrou o pregão noturno desta sexta-feira com expressivo ganho na Bolsa de Chicago (CBOT), conforme o Rural Business. O contrato mar/08, o de maior liquidez hoje, subiu 5 pontos e fechou a sessão cotado a US$ 480,00 cents/bushel (US$ 11,34 por saca), depois de ter testado máxima de US$ 480,50 cents/bushel e mínima de US 473,50 cents/bushel, operando num range de 7 pontos. (Rural Business)

Físico – saca 60Kg – livre ao produtor
Goiás (média estadual) R$28,00
Minas Gerais (média estadual) R$29,50
Mato Grosso (média estadual) R$26,50
M. Grosso Sul (média estadual) R$25,50
Paraná (média estadual) R$28,00
São Paulo (média estadual) R$32,50
Rio G. do Sul (média estadual) R$27,00
Santa Catarina (média estadual) R$29,00