Suíno vivo
O preço pago ao produtor do suíno tipo carne registrou elevação no Rio Grande do Sul durante a semana. Isto foi o que registrou o levantamento de preços realizado pela EMATER/RS ASCAR. A elevação, no período, foi na ordem de 1,30% no preço médio do produto no mercado estadual. O preço médio passou de R$ 2,31 para R$ 2,34 o quilo vivo. (Suino.com)

GO R$2,75
MG R$2,75
SP R$2,88
RS R$2,35
SC R$2,30
PR R$2,20
MS R$2,40
MT R$2,20

Frango vivo
Nas quatro primeiras semanas de janeiro o frango vivo comercializado no interior paulista perdeu 20 centavos de sua cotação de abertura no ano (R$1,65/kg) e fechou no último sábado cotado a R$1,45/kg, após nova queda de cinco centavos na terça-feira. A estabilidade observada desde então não tem o menor significado. Porque o mercado continuou com volume de oferta substancialmente maior que a demanda do período, o que torna as “cotações oficiais do mercado” valores meramente figurativas. Sabe-se que este é um dos piores (senão o pior) momentos de demanda do ano e, portanto, é até justificável que a procura venha sendo inferior à oferta. É bem provável, por outro lado, que a oferta de produto destinado especificamente ao mercado “spot” venha sendo inferior à de períodos anteriores e proporcional à demanda mais restrita. Teoricamente, pois, contava-se com maior equilíbrio entre disponibilidade e demanda, o que não ocorre na prática porque o mercado continua a receber, ininterruptamente, produto proveniente de empresas integradas – um procedimento que tende a se perenizar e que, assim, pode subverter definitivamente o mercado paulista de frangos vivos. Independente dessa perspectiva, porém, está claro que o mercado caminha lentamente neste momento, fato comprovado pelas cinco (quase sucessivas) quedas do frango vivo comercializado em Minas Gerais – duas de 10 centavos, três de cinco centavos. Quer dizer: depois de abrir o ano cotado a R$1,80/kg, valor 15 centavos superior ao do mercado paulista, o frango vivo mineiro agora também se encontra em R$1,45/kg. Uma possível reversão de tendência só deve ser aguardada para a semana que vem. Mas depois do Carnaval…. (AviSite)

SP R$1,45
CE R$2,40
MG R$1,60
GO R$1,45
MS R$1,45
PR R$1,70
SC R$1,50
RS R$1,50

Ovos
Com o clima mais ameno, os preços dos ovos para o mercado paulista iniciam a semana em alta moderada. A demanda do atacado deve ficar bastante aquecida devido a proximidade da virada do mês e da antecipação das compras para o Carnaval. Cif São Paulo jumbo R$44,70, extra R$41,70, grande R$40,70, médio R$38,70 e pequeno R$28,70. (Ovo Online)

Ovos brancos
SP R$39,70
RJ R$40,00
MG R$40,00
Ovos vermelhos
MG R$42,00
RJ R$42,00
SP R$41,70

Boi gordo
O indicador Esalq/BM&F voltou a recuar nesta quinta-feira. Segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Esalq/USP), o indicador foi cotado a R$ 75,36/@, recuo de R$ 0,07. A mesma variação foi registrada para o indicador a prazo, que foi cotado a R$ 76,12/@. Na BM&F, todos os vencimentos fecharam em alta. O primeiro vencimento, janeiro/08, fechou a R$ 75,26/@, alta de R$ 0,25. Os contratos que vencem em fevereiro/08 tiveram variação positiva de R$ 0,49, fechando a R$ 72,49/@, com 4.168 contratos negociados. Agosto/08, foi o vencimento com maior variação, +R$ 0,85, fechando em R$ 72,00/@. No mercado físico, frigoríficos paulistas intensificaram a pressão sobre os preços da arroba, forçando recuos. Porém, segundo colaboradores do BeefPoint, a oferta ainda não aumentou substancialmente explicando tal ação, e a maioria das indústrias está se abastecendo com animais do MS e GO. De acordo com as cotações levantadas pelo BeefPoint, foram registradas baixas em SP e MT. Acompanhe na tabela abaixo as praças onde ocorreram variações. No atacado da carne bovina, a ponta de agulha apresentou queda de R$ 0,10, sendo cotada a R$ 2,80. Enquanto traseiro e dianteiro permaneceram com preços estáveis, respectivamente, R$ 5,50 e R$ 3,40. O equivalente físico recuou para R$ 64,95/@. Dessa forma, o spread (diferença) entre indicador de boi gordo e equivalente físico voltou a aumentar, ficando em R$ 10,41/@. Quanto maior for o spread menor será a margem bruta do frigorífico. Na reposição, o indicador Esalq/BM&F bezerro MS à vista foi cotado a R$ 497,84/cabeça, alta de R$ 0,91. A relação de troca ficou em 1:2,50.(BeefPoint)

Triangulo MG R$71,50
Goiânia GO R$73,00
Dourados MS R$70,00
C. Grande MS R$68,00
Três Lagoas MS R$70,00
Cuiabá MT R$70,00
Marabá PA R$60,00
Belo Horiz. MG R$54,00

Soja
O mercado futuro da soja encerrou o pregão noturno desta segunda-feira com resultados mistos na Bolsa de Chicago (CBOT), informa o Rural Business. A posição mar/08, a de maior liquidez no momento, finalizou a sessão com recuo de 10,25 pontos, cotada a US$ 1.232,75 cents/bushel, ou algo próximo a US$ 27,18 por saca, depois de ter testado máxima de US$ 1.259,50 cents/bushel e mínima de US$ 1.232,00 cents/bushel, operando num range de 27,50 pontos. Enquanto isso, o vencimento mai/08, que norteia a nova safra brasileira, fechou no patamar de US$ 1.250,25 cents/bushel (US$ 27,56 a saca), com perda de 11,25 pontos. Já o contrato jul/08 terminou os trabalhos negociado a US$ 1.266,00 cents/bushel (US$ 27,91 por saca), apresentando queda de 9,25 pontos.

Já o mercado futuro do farelo de soja finalizou o pregão noturno desta segunda-feira com cotações mistas na Bolsa de Chicago (CBOT), de acordo com o Rural Business. O vencimento mar/08, o de maior liquidez, caiu US$ 2,60/ton e encerrou os trabalhos negociado a US$ 332,40/ton, depois de ter testado máxima de US$ 340,00/ton e mínima de US$ 332,30/ton. (Rural Business)

Físico – saca 60Kg – livre ao produtor
R. Grande do Sul (média estadual) R$47,50
Goiás – GO (média estadual) R$44,50
Mato Grosso (média estadual) R$40,00
Paraná (média estadual) R$47,50
São Paulo (média estadual) R$45,50
Santa Catarina (média estadual) R$45,50
M. Grosso do Sul (média estadual) R$43,00
Minas Gerais (média estadual) R$43,00

Milho
O mercado futuro do milho encerrou o pregão noturno desta segunda-feira com queda em 9 dos 11 vencimentos negociados na Bolsa de Chicago (CBOT), conforme indica o Rural Business. O contrato mar/08, o de maior liquidez hoje, caiu 4,25 pontos e fechou a sessão cotado a US$ 494,00 cents/bushel (US$ 11,67 por saca), depois de ter testado máxima de US$ 503,75 cents/bushel e mínima de US 493,50 cents/bushel, operando num range de 10,25 pontos. (Rural Business)

Físico – saca 60Kg – livre ao produtor .
Goiás (média estadual) R$24,00
Minas Gerais (média estadual) R$25,00
Mato Grosso (média estadual) R$21,00
M. Grosso Sul (média estadual) R$24,00
Paraná (média estadual) R$25,00
São Paulo (média estadual) R$29,50
Rio G. do Sul (média estadual) R$25,00
Santa Catarina (média estadual) R$27,50