Você sabia que a Funasa é a responsável pela implementação das ações de saneamento em áreas rurais de todos os municípios brasileiros? Pois bem, ela atende inclusive às populações remanescentes de quilombos, assentamentos rurais e populações ribeirinhas.

Um de seus maiores desafios é melhorar a saúde pública do país. Criar uma política pública específica que dê todo o suporte a um programa orientado para essas áreas é um dos objetivos, mas a evolução tem sido mínima. Existe um enorme diferencial no atendimento da população rural em comparação com a urbana, desfavorecendo as primeiras.

saúde pública

Segundo Censo Demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2010), no Brasil cerca de 29,9 milhões de pessoas residem em localidades rurais. E a linha de extrema pobreza foi estabelecida em R$ 70,00 per capita considerando o rendimento nominal mensal domiciliar. Deste modo, qualquer pessoa residente em domicílios com rendimento menor ou igual a esse valor é considerada extremamente pobre.

Esses dados revelam que é de extrema importância debater-se sobre medidas para levar saneamento para a população que vive no campo, buscando melhorias de qualidade de vida e educação para essas pessoas que já vivem em situação precária.