Com tanta umidade no solo, os agricultores manifestaram ontem muito otimismo com a safra de soja, pois com o sistema de plantio direto, as enxurradas não correm nas lavouras, sendo a maioria da água absorvida pelo solo.

A preocupação imediata é com o ataque da ferrugem asiática, embora os técnicos venham insistindo que com a vistoria das lavouras e a aplicação do fungicida esse é um problema capaz de ser resolvido.

As chuvas do final de semana atingiram toda a região da Grande Dourados. No Sítio Nossa Senhora Aparecida, na região do Córrego Seco, em Itaporã, o produtor Segundo Pereira, que comemorava o seu aniversário no domingo, na hora do brinde fez questão de lembrar a chuva que caía lá fora. “Tudo isso de água nunca é demais. Já passou de 100 milímetros, mas não é problema”, comentou ao lado de vários outros agricultores do município. “Esse ano vamos ter uma safra de soja melhor do que a esperada”, afirmou Pereira.