Apesar da recuperação das cotações do açúcar nas últimas semanas na Bolsa de Nova York (Nybot), o mercado espera para o ano de 2008 preços deprimidos por conta da grande produção da Índia. Para o álcool, o cenário negativo também deve se repetir, com a falta de perspectiva de aumento das exportações brasileiras. O resultado é que a expectativa de valorização das empresas do setor foi revisto para baixo pelo mercado. Entre as três listadas no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a Cosan foi a que teve a maior queda dessa expectativa, apesar de o cenário ainda apresentar perspectivas de alta até abril de 2009.

Segundo relatório da Link Investimentos, as ações da Cosan, cuja expectativa era de atingir em abril deste ano o valor unitário de R$ 37,50, tiveram recuo da expectativa em 24,58%. “Agora o nosso modelo aponta que irá valer R$ 30,10 em abril de 2009, ou seja, essa valorização menor ainda ocorrerá em mais de um ano”, explica Celso Boin, chefe da área de Análise da Link. Mesmo com uma perspectiva de valorização menor, o valor de R$ 30,10 por ação, significaria uma alta de 36% para os papéis da companhia, considerando o fechamento de ontem em R$ 22,14 (17h28). Mas, entre as três empresas listadas no Novo Mercado (Cosan, Guarani e São Martinho), a consultoria recomenda a compra de papéis apenas para a Guarani, se posicionando como “neutro” para as ações das outras duas.

A nova expectativa para essa empresa, segundo a Link, é de que as ações valerão R$ 13,90 em abril de 2009, o que significará alta de 34%, ante os atuais R$ 10,37 de ontem. “Recomendamos a compra dos papéis da Guarani, porque consideramos que é muito mais fácil ela atingir essa valorização do que a Cosan”, compara Boin. A incerteza em relação a esta última, segundo ele, se deve ao fato de ela estar em processo de reestruturação com a abertura de capital da Cosan Limited. “A nossa visão é de que esse papel trará turbulência por conta dessa reestruturação que, também trouxe piora na governança corporativa da empresa”, diz.

Além disso, segundo ele, a incerteza sobre a valorização da empresa aumenta porque a captação da Oferta Inicial de Ações (IPO) da Cosan Limited foi menor (US$ 2,1 bilhões) do que se previa (US$ 3 bilhões), o que pode comprometer o financiamento dos projetos. Para Reynaldo Benitez, diretor de Relações com Investidores da Guarani, é positiva essa análise de valorização de 30% das ações da empresa.

Paulo Diniz, diretor de relações com Investidores da Cosan, avalia que as preços baixos do açúcar podem influenciar a situação das ações. No entanto, discorda que houve piora na governança corporativa. “A consultoria que avaliou essa piora não se atentou para a complexidade de abertura de capital na Nybot, que é muito maior do que o do sistema brasileiro. Nossa governança elevou-se muito. Não existe outra empresa no mundo na situação da Cosan”. A São Martinho foi procurada mas o executivo responsável não estava disponível