A multinacional norte-americana Bunge Alimentos está avaliando realizar investimentos no setor sucroalcooleiro na região de Dourados, para a possível aquisição de projetos industriais ainda em implantação, entrando, assim, no segmento de biocombustíveis no Estado, onde possui unidades em Dourados e Campo Grande, esta desativada em 2007.

A visita do presidente mundial da Bunge, o brasileiro Alberto Weisser ontem a Mato Grosso do Sul, por ter sido considerada dentro “da sua rotina de trabalho”, não pôde ser acompanhada pela imprensa e seu roteiro foi mantido sob sigilo pela sua assessoria. Mas ele desembarcou em Campo Grande e pegou um avião menor para conhecer o sul do Estado.

“Weisser e os demais executivos ficarão somente hoje no Estado e cumprem uma extensa agenda durante todo o dia com profissionais da Bunge, o que os impossibilita de atender entrevistas ou reuniões”, segundo uma nota da companhia distribuída ontem.

Ele está cumprindo um ciclo de visita a vários estados onde a Bunge possui unidades, acompanhado do presidente da multinacional no Brasil, Sérgio Waldrick. Em Dourados estava acompanhado de Walter Silveira, diretor para a área sucroalcooleira.

O Correio do Estado, no entanto, apurou que a alta cúpula de Bunge manteve contatos com empresários da região de Dourados, para conhecer projetos de usinas de açúcar e álcool. Um deles foi com Celso Dal Lago Rodrigues, que é sócio numa usina em Dourados e está iniciando outras duas plantas industriais em Ponta Porã e em Fátima do Sul.

A multinacional também estaria interessada em conhecer detalhes das unidades da Usina Eldorado que foram lançadas em Dourados e em Itaporã, pertencente ao empresário Benedito Coutinho.

Weisser sobrevoou a região de Dourados para conhecer o que está sendo implantado na área da produção sucroalcooleira. A Bunge já tem investimento em Dourados com uma unidade de esmagamento de soja, produzindo óleo bruto e farelo, no Distrito Industrial.

Antiga

A Bunge, presente no Brasil desde 1905 e instalada em 16 Estados, é uma das principais empresas de agribusiness e alimentos do País, atuando em toda a cadeia produtiva. Ela disputa esse mercado com as norte-americanas Cargill e ADM.

Leave a Reply

A multinacional norte-americana Bunge Alimentos está avaliando realizar investimentos no setor sucroalcooleiro na região de Dourados, para a possível aquisição de projetos industriais ainda em implantação, entrando, assim, no segmento de biocombustíveis no Estado, onde possui unidades em Dourados e Campo Grande, esta desativada em 2007.

A visita do presidente mundial da Bunge, o brasileiro Alberto Weisser ontem a Mato Grosso do Sul, por ter sido considerada dentro “da sua rotina de trabalho”, não pôde ser acompanhada pela imprensa e seu roteiro foi mantido sob sigilo pela sua assessoria. Mas ele desembarcou em Campo Grande e pegou um avião menor para conhecer o sul do Estado.

“Weisser e os demais executivos ficarão somente hoje no Estado e cumprem uma extensa agenda durante todo o dia com profissionais da Bunge, o que os impossibilita de atender entrevistas ou reuniões”, segundo uma nota da companhia distribuída ontem.

Ele está cumprindo um ciclo de visita a vários estados onde a Bunge possui unidades, acompanhado do presidente da multinacional no Brasil, Sérgio Waldrick. Em Dourados estava acompanhado de Walter Silveira, diretor para a área sucroalcooleira.

O Correio do Estado, no entanto, apurou que a alta cúpula de Bunge manteve contatos com empresários da região de Dourados, para conhecer projetos de usinas de açúcar e álcool. Um deles foi com Celso Dal Lago Rodrigues, que é sócio numa usina em Dourados e está iniciando outras duas plantas industriais em Ponta Porã e em Fátima do Sul.

A multinacional também estaria interessada em conhecer detalhes das unidades da Usina Eldorado que foram lançadas em Dourados e em Itaporã, pertencente ao empresário Benedito Coutinho.

Weisser sobrevoou a região de Dourados para conhecer o que está sendo implantado na área da produção sucroalcooleira. A Bunge já tem investimento em Dourados com uma unidade de esmagamento de soja, produzindo óleo bruto e farelo, no Distrito Industrial.

Antiga
A Bunge, presente no Brasil desde 1905 e instalada em 16 Estados, é uma das principais empresas de agribusiness e alimentos do País, atuando em toda a cadeia produtiva. Ela disputa esse mercado com as norte-americanas Cargill e ADM.

Leave a Reply