Um termo anexo ao protocolo de entendimento sanitário para exportação de carne brasileira à Espanha será assinado nesta quarta-feira (16), em Madri, pelo secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Inácio Kroetz.

O acordo prevê a criação de um grupo de trabalho que reúne representantes da Espanha e do Brasil, voltado para ações na área de rastreabilidade, identificação de animais vivos e ações complementares. O protocolo entre os dois países vigora desde fevereiro de 2005.

De acordo com o Ministério da Agricultura, o Brasil exportou para a Espanha, no ano passado, 59,7 toneladas de carnes de aves, bovina, suína e de eqüídeos, volume 26,75% acima do embarcado em 2006 (47,1 toneladas). As vendas alcançaram US$ 152,3 milhões, valor 58,21% maior que o exportado em 2006.

O frango é o carro-chefe das exportações de carne para os espanhóis. Em 2007, o Brasil vendeu US$ 77,4 milhões desse produto à Espanha. Na seqüência, vem a carne bovina, com US$ 49,5 milhões; a carne de peru, com US$ 17,6 milhões; a suína, com US$ 2,3 milhões e a de eqüídeos, com US$ 135,8 mil. Demais carnes, miudezas e preparações, no ano passado, renderam US$ 5,2 milhões.