As vendas do Estado para o mercado internacional passaram de US$ 1,6 bilhão para US$ 4,9 bilhões.

As exportações do agronegócio mineiro cresceram 206% no período de 2001 a 2007. As vendas do Estado para o mercado internacional passaram de US$ 1,6 bilhão para US$ 4,9 bilhões. Os números fazem parte de um estudo da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O setor da pecuária foi o de maior avanço no período. As exportações de produtos lácteos cresceram 1630%. Em 2001, foram US$ 6,7 milhões em negócios. No ano passado, as vendas registraram US$ 116 milhões. A comercialização de carne bovina, que em 2001 movimentou US$ 30 milhões, cresceu 1010% e chegou a US$ 333 milhões no ano passado. Os negócios do setor avícola tiveram um crescimento de 570%, passando de US$ 24 milhões para US$ 161 milhões. Já as exportações de carne suína, que em 2001 foram de US$ 8 milhões, saltaram para US$ 41 milhões 2007. Alta de 410%. No geral, o setor de carnes cresceu 675%, passando de US$ 80 milhões para US$ 620 milhões.

Segundo o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Gilman Viana Rodrigues, o crescimento da pecuária pode ser explicado pela reativação e ampliação das plantas industriais do setor. “Houve uma profissionalização das cadeias produtivas”, comenta. Para o secretário, o Estado também se modernizou e criou regras tributárias atraentes para os investidores. “Houve uma significativa mudança no relacionamento entre a máquina pública e a iniciativa privada”, explica Gilman Viana.

Agricultura:

Já as vendas do café, principal produto da pauta de exportações do agronegócio mineiro, apresentaram um crescimento nos últimos sete anos de 198%. Os negócios, em 2001, movimentaram US$ 837 milhões. No ano passado, chegaram a US$ 2,5 bilhões. O comércio de açúcar cresceu 458%. Foram US$ 335 milhões no ano passado e US$ 60 milhões em 2001.

Dos principais produtos exportados por Minas Gerais, a soja foi o que teve o menor crescimento em sete anos: 32%. “Como houve um aquecimento do mercado brasileiro, principalmente no ano passado, boa parte da soja mineira foi destinada à produção de óleo, farelo e ração para consumo interno”, explica o secretário. Os embarques em 2001 somaram US$ 156 milhões. Em 2007, foram US$ 206 milhões. As informações são da assessoria de imprensa da Secretaria da Agricultura de Minas Gerais.